O Propósito

O propósito deste blog é falar sobre conceito, técnicas, ferramentas e soluções, dar dicas e sacadas para inteligência de negócio,  assuntos atuais e formas de resolver alguns casos.

Vou falar de forma bem ampla com um pequeno grau de profundidade no assunto, até porquê, o intuito é buscar e trazer novas informações, dicas, sacadas e novidades que o mercado oferece.

Este Blog é voltado para profissionais que procuram melhorar seu desempenho, para estudantes que procura entender, curiosos e entusiasta da área de inteligência de negócio…

Anúncios

Como trabalhar com indicadores

  Como já falamos no “post” anterior é muito importante definir os indicadores de sua empresa ou de seu setor de trabalho, para que consiga melhorar o rendimento e prospectar um futuro com mais segurança.

  Para que trabalhe bem o indicador e entenda sobre a saúde de sua empresa é importante ter um conhecimento em algumas funções de estatísticas.

  Veremos agora como trabalhar seu indicador usando algumas funções de estatísticas e saber como tirar “bons frutos” de seu trabalho.

  Vamos usar como exemplo um indicador de vendas de celulares;

  “Uma loja trabalha com 3 tipos de modelos (modelos do tipo A, B e C), o gerente queria repor o estoque então decidiu prospectar para saber qual seria a quantidade de cada modelo que devera comprar para os próximos meses.”

  Neste caso usaremos a função “média” e “desvio padrão” para tentar definir uma linha padrão entre as vendas e assim poder decidir qual modelo comprar mais e comprar menos.

  Quantidade de aparelhos por modelos vendidos no mês na loja:

Modelos Janeiro Fevereiro Março Abril
Tipo A 50 70 30 20
Tipo B 76 40 80 12
Tipo C 49 40 58 45

  Vamos saber qual é a média dos aparelhos vendidos:

                Calculo de média:

 Se n número dados, cada número denotado por ai, onde i = 1, …, n, a média aritmética é a soma dos valores ai‘s divididos por n, ou:

media

   Calculo de média no excel:

            =media([amotra])

Modelos Janeiro Fevereiro Março Abril Média
Tipo A 50 70 30 20 43
Tipo B 76 40 80 12 52
Tipo C 49 40 58 45 48

  Depois de definir a média, percebe-se que o modelo tipo B tem um grau de venda maior que as demais, mas neste momento pode surgir a hipótese que o tipo B é um ótimo candidato para se concentrar a compra do próximo mês. Mas neste momento não estamos focado na média e sim em qual tipo de modelo será o mais confiável para investir o dinheiro.

  Neste próximo passo aplicaremos uma função chamada desvio padrão:

  O desvio padrão de uma variável aleatória X é definido como:

desvPadra

  Em outras palavras, o desvio padrão amostral de uma variável aleatória X pode ser calculado como: Para cada valor  calcula-se a diferença entre  e o valor médio

       Calculo desvio padrão no excel:

                 = DESVPAD.P([amotra])

Modelos Janeiro Fevereiro Março Abril Média DesvPadrão
Tipo A 50 70 30 20 43 19,20
Tipo B 76 40 80 12 52 27,86
Tipo C 49 40 58 45 48 6,60

  Agora que temos o resultado do desvio padrão podemos assim definir qual será o modelo que o gerente deverá comprar mais aparelhos e o que deverá comprar menos.

  O desvio padrão é o cálculo que defini um padrão entre os valores e a média quanto mais próximo de 0 (zero) o desvio padrão for mais próximo da media ele se encontra, definindo assim um padrão expressivo entre os números.

Média DesvPadrão
43 19,20
52 27,86
48 6,60

  Podemos dizer que:

Média | DesvPadrão

48     –    6,60  à Este é o aparelho mais seguro para se comprar, como pode perceber dentre todos este o desvio padrão mais perto de 0 (zero) significa que a movimentação de aparelhos vendidos está mais perto da media, tendo assim uma consistência.

Média | DesvPadrão

52     –  27,86  à  Este aparelho tem um desvio padrão mais longe de 0 (zero) sendo o aparelho com maior instabilidade, quer dizer que a venda dele oscila sempre entre 27,8 aparelho para mais ou para menos, para investir neste aparelho recomenta-se que seja feito valor de média menos desvio padrão, sendo assim economizando e garantindo um estoque com mais rotatividade.

  Espero ter ajudado, e recomendo que procure mais sobre funções de estatísticas, tal como regressão linear, moda, mediana e etc.

O que é um “INDICADOR”?

 Indicadores ou “Balanced Score Cards”, como são conhecidos nas grandes empresas, é um representante da quantitativa dentro de uma empresa, o que isso quer dizer, um indicador representa uma unificação de alguns dados pertinentes a algum assunto que a empresa deseja verificar.

 Vamos usar como exemplo um atendimento telefônico de uma empresa, eles querem saber quantas pessoas ligaram mais de uma vez por qualquer motivo, o indicador aqui chamará “RE-CHAMADA” o que eles precisarão buscar: todas as ligações, números das pessoas que ligaram e se estes números aparecem mais de uma vez em sua pesquisa e se foi pelo mesmo motivo, como pode perceber o indicador e uma somatória de dados, e assim se compõe o indicador.

E o que fazer com o indicador criado?

 No nosso caso o indicador “re-chamada”, assim que eu tiver o número em mãos e cruzar com mês, cidades e bairro, por exemplo, posso saber quais foram os dias com maiores índices de re-chamada, entenderei a dúvida de meu cliente e a dificuldade do meu operador em atende-lo, e sendo assim, posso tomar uma ação de correção, porque eu saberei qual o bairro e dia com o maior índice de re-chamada e o motivo de sua ligação.

 O indicador mede somente a volumetria, a quantidade de vezes que aquele incidente ocorre no tempo que determinou

 Objetivo de um Indicador.

 O objetivo de se criar os indicadores quantitativos é justamente para traduzir a qualidade de “vida” do setor de sua empresa, ou de onde trabalha, com indicadores muito bem definidos é possível melhorar o ambiente enxugar algumas horas perdidas e gastos desnecessários.

 Se estiver pensando em aplicar em sua empresa uma política de melhorias com base em indicadores, recomendo estudar bem as regras de negócio em que trabalha e buscar mais informação sobre indicadores.

Por que usar inteligência de negócio?

Quando fazemos esta pergunta logo associamos a uma ferramenta, software ou algo assim, mas não é bem por ai, inteligência de negócio é um conceito que existe ferramentas para apoia-la não ferramentas que fazem a inteligência acontecer.

A inteligência de negócio vem mais com a percepção do profissional do que com a ferramenta, se ele não sabe o que quer com certeza não sabe de onde tirar e cruzar as informações, é o caso do capitão do navio no meio do oceano, se ele não sabe pra onde vai, qualquer vento lhe serve. Mas pra quem quer chegar a algum lugar ai sim deve se pensar com calma e aplicar algumas técnicas para poder definir o caminho que deve traçar para poder chegar no destino.

Os conceitos e técnicas de inteligência de negócio aplica-se até na vida, quando se vai comprar um carro ou uma casa, escolher o lugar das férias da família, a maioria aplica técnicas usada em “inteligência de negócio” e nem percebe, tal como, verificar a qualidade do carro, antecedentes de batidas e multas, km rodada e até como o atual dono se comporta com seus bens, isso e acumular dados para se tomar uma decisão lógica se deve ou não comprar pelo preço oferecido, isso e técnica de cruzar dados,  do mesmo jeito fazemos quando vamos viajar, estudamos como estará o tempo verificando o mesmo período do ano passado, procuramos localidade e procuramos referência de quem já foi, isso e técnica de predição, estudamos o passado pra prever o futuro.

A inteligência de negócio usa exatamente estas técnicas para poder dar mais tranquilidade para tomar uma decisão, e justamente por isso devemos sempre buscar o maior número de informações possíveis sobre qualquer ação que pensamos em tomar, para poder ter segurança na decisão.

As técnicas de inteligência de negócio pode-se aplicar na sua vida profissional, independente da profissão, vamos usar como exemplo um profissional da área de logística que trabalha em uma empresa de motoboy, o horário de trabalho dos colaboradores (motoboys) e das 9hrs às 18hrs, mas algumas vezes por semana alguns devem trabalhar até 22hrs, o profissional que é encarregado de liberar as entregas percebe que eles chegando as 9hrs ficam pelo menos 2 horas lá sem fazer nada, portanto o motoboy entra as 9hrs trabalha até 22hrs contabilizando 12 hrs de trabalho (4hrs extras) sendo que pelo menos 2hrs eles não fazem nada, construindo um relatório pra identificar um padrão de quando e quais clientes pedem serviço fora do horário ele pode pedir pra alguns colaboradores entrar mais tarde e assim economizar com hora extra.

E com atitudes simples pode-se cortar gastos, melhorar o ambiente de trabalho e familiar. Não seja mais um perdido no oceano, trace uma rota.

O que é B.I (Business Intellingence) e sua Origem

B.I ou inteligência empresarial e o processo de coleta, organização, análise, compartilhamento e monitoramento de informação que serve de suporte transformando dados em informação para tomada de decisão, voltado a liderança de negócio.

Isso é possível devido as diversas técnicas e ferramentas que serve para auxiliar na transformação de dados brutos em informação significativa e uteis. As ferramentas existentes foram criadas para suportar uma grande massa de dados, processa-los e transforma-los em informação.

O conceito criado em inteligência de negócio podemos dizer que vem do livro “A arte da guerra” onde Sun Tzu disse em seu livro que para suceder em uma guerra devemos deter de todo conhecimento possível de suas fraquezas e virtudes suas e de seus “inimigos” (concorrência).

John Edgar Hoover o famoso chefe do FBI ficou no cargo por 48 anos serviu 8 presidentes 18 secretários de estado e mudou a cara do FBI, mas o que poucos sabem é que antes dele se tornar o chefe de umas das maiores agencia de investigação do mundo, ele foi bibliotecário em Washington, e lá ele percebeu que quem detém da informação está à frente, e com este conceito e criando técnicas ele se tornou o que foi.

O conceito de adquirir informação em massa e processa-la foi levado ao mercado financeiro pelo Richard Millar Devens em “Cyclopaedia of Commercial and Business Anecdotes” em 1865 ele usou este termo para falar do bancário Sir Henry Firnese, lucrou recebendo e agindo em cima de informações sobre o ambiente, antes de seus concorrentes. A habilidade de coletar e reagir adequadamente baseado em informações recuperadas, é uma habilidade destacada em Firnece, e hoje é inteiramente o funcionamento do BI.

Com a evolução das máquinas, computadores e automações na década de 70 teve sua maior evolução em formas de armazenamento (DASD) e acesso a dados (SGBD). O termo Business Intelligence surgiu mesmo na década de 80 e faz referência ao processo inteligente de processo de dados. E com tempo vem surgindo diversas ferramentas poderosa para este tipo de conceito, e com o crescimento da internet com seus e-commerce o mercado está absorvendo muito está utilidade. Informação é tudo.